É importante aprimorar conhecimentos

Quais dificuldades os profissionais estão encontrando para se recolocarem no mercado, após quase três anos de recessão? A matéria especial publicada na Tribuna do Norte trouxe a entrevista de Fátima Trindade, Especialista em Gestão de Carreira e VP de Executive Search da Thomas Case & Associados, para explanar o assunto.

Por Redação

Por quais motivos a reinserção no mercado de trabalho tem se tornado uma árdua tarefa aos profissionais brasileiros desempregados atualmente?

As empresas começam a dar sinais de que vão voltar a contratar, pois o mercado está reagindo. Isso aumenta a possibilidade de retorno ao mercado para todos. É muito importante salientar que o mercado mudou consideravelmente e é muito provável que essas colocações não sejam exatamente como eram antes do período de crise. Passamos por um período em que as empresas estavam arcando com salários altos e uma quantidade elevada de profissionais. O período de crise ensinou a todos que é possível atingir resultados com um contingente menor de colaboradores.

 

O que isso significa?

Isso significa que aqueles que tiverem um bom currículo, souberem se apresentar bem, tiverem qualidades e qualificação de acordo com o que as empresas precisam, encontrarão recolocação. É importante que as pessoas que estão, hoje, desempregadas, aprimorem conhecimentos se quiserem retomar suas carreiras. Sempre se lembrando que as competências comportamentais são o grande diferencial na escolha do candidato. Importante termos na equipe profissionais comprometidos, resilientes, versáteis e criativos para que as tarefas e clima organizacional estejam alinhados com o interesse das empresas.

 

Há uma forma de encurtar a distância entre o desemprego e a assinatura da CTPS? Qual é ela?

Atualmente não se pensa somente na assinatura da CTPS. Está bem atual a contratação em regime PJ (microempresário) e outros formatos diferentes dos habituais, facilitando para todos, inclusive empresas, na contratação. As relações se tornaram mais abertas e francas, porque o empresário precisa do profissional, da mesma forma que o profissional precisa do empresário. Isso pode encurtar sim a distância entre o desemprego e a contratação. Basta estar aberto para ouvir o que se propõe e conciliar com bom senso.

 

Profissionais diferenciados, com currículo bem avaliado e vasta experiência profissional, mas que ainda assim estão desempregados, devem aceitar qualquer oferta? Como as propostas devem ser analisadas?

Profissionais com ampla bagagem, com um bom currículo e que estão há algum tempo fora do mercado não devem ter preconceitos ao avaliar oportunidades. Isso não significa que devam aceitar qualquer oferta. É importante avaliar uma série de fatores. Por exemplo: se a vaga não corresponder ao cargo ou salário que ele tinha anteriormente, forem menores, mas a empresa for interessante, na área dele e houver a possibilidade de crescimento, com plano de carreira, por que não participar do processo de seleção? Nem sempre as oportunidades aparecem como idealizamos. Às vezes pode ser bom dar um passo para trás para conseguir dar dois à frente logo na sequência.

Confira através do link: https://bit.ly/2orj1hW

Thomas Case

Ao longo de 41 anos de atividades, nossos especialistas em Transição de Carreira, Outplacement, Coaching, Executive Search e Desenvolvimento contribuem com reportagens para diversos veículos de comunicação do país, por isso, a Thomas Case & Associados é considerada uma das principais fontes para consultas.