Trabalhabilidade: dicas para sua carreira

Começamos um novo ano esta semana. Analisando os inúmeros atendimentos como aconselhador de carreira pela Thomas Case & Associados, lembrei-me de uma conversa que chamou minha atenção.

Um profissional de 45 anos buscando recolocação profissional questionou o que mais poderia desenvolver para manter sua empregabilidade. Ao avaliar sua biografia profissional, é possível concluir que a condição de empregabilidade dele era elevada! Formações acadêmicas recentes; ótimo marketing pessoal; ampla rede de relacionamentos devido aos anos de profissão, além de excepcional preparo técnico.

Esse profissional já possuía conhecimentos, habilidades e talentos pessoais para permanecer-se empregado. Refleti muito sobre como poderia ajudá-lo nesta transição e gestão da carreira. Qual seria sua perspectiva de atuação no momento profissional?

Levantei quatro pontos a serem aprimorados para complementar essa escolha:

  • Manter os cuidados com a saúde e bem-estar. Infelizmente muitos homens postergam a manutenção periódica da saúde. Era recomendável realizar um check-up para verificar o que poderia mudar e/ou fazer diferente.
  • Planejar a vida financeira. Apesar de ter atuado em grandes companhias com altos salários, ele não preparou sua vida financeira no longo prazo. Conversamos sobre suas dívidas, baixos investimentos e aplicações e falta de planejamento para aposentadoria.
  • Buscar fontes alternativas de renda. Refletimos acerca de possíveis economias colaborativas para obtenção de rendimentos extras, como parcerias com Airbnb, Uber, atividades freelances, franquias de baixo custo. Seu olhar para empreender ou buscar algo novo no curto prazo poderia enfrentar dificuldades.
  • Networking, preparo técnico e formações acadêmicas recentes. Este conjunto de habilidades e características agregaria à busca da trabalhabilidade.

Faço uma comparação sobre a trabalhabilidade com o conceito CHA (sigla para Conhecimento, Habilidade e Atitude), que é o constante desenvolvimento de conhecimentos e habilidades, agregando também características de atitudes.

Percebo que o processo de empregabilidade vai além de formações acadêmicas ou da fluência em inúmeras línguas estrangeiras. O processo de trabalhabilidade pode integrar sonhos, objetivos, propósito profissional e qualidade de vida, afinal, olhar para nós e para nossas necessidades também é importante.

Somos influenciados pelas nossas crenças e valores, o que nos impactam constantemente, seja com efeitos positivos ou atitudes a serem melhoradas.

Recomendo a leitura da Teoria U, de Otto Scharmer, que entre tantas outras informações, questiona nossos modelos mentais, conecta com o propósito (individual e coletivo) para, então, realizar modelos de atividades fazendo constantes ajustes.

Iniciemos 2019 de forma reflexiva e com metas estratégicas profissionais definidas, desta forma teremos nossa carreira alinhada com nossa vida pessoal.

“O futuro não é um lugar onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quando o destino”, citação de Antoine de Saint-Exupery.

Thiago Brolezzi

Pós-Graduado em Pedagogia Empresarial pela Universidade Paulista, MBA em Recursos Humanos pela Universidade Nove de Julho, Especializado em Mediação Social e Facilitação de Processos pela Ecosocial/Comviver, Graduado em Administração de Empresas com ênfase em Hotelaria pelo Senac e Certificado em Coaching pela SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching e Certificado em Coaching Integrativo pela ACI – Academia de Coaching Integrativo de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *