Exibir-se como ‘o bom’ pode prejudicar seu emprego

Apresentar talentos profissionais, boas competências e destacar-se entre os demais colaboradores é admirável, mas é preciso prestar atenção às diferenças sutis entre a excelência e a soberba.

A capacidade e o conhecimento dos profissionais, por melhores que sejam, devem estar alinhados com as necessidades organizacionais. Nada adianta ser um profissional com diversas habilidades técnicas, amplo know-how e expertise da área se não existir paciência e serenidade para ouvir, ensinar, integrar e ter um bom relacionamento.

Respeito, cooperação, humildade e trabalho em equipe são alguns valores que as empresas observam na hora de promover ou contratar funcionários. Logo, qualidades e conquistas exageradamente enaltecidas tornam-se defeitos, e profissionais podem até mesmo perder seus empregos por conta dessa atitude.

Para a empresa, é mais adequado desligar um colaborador que gera desmotivação e mal-estar no ambiente de trabalho, por melhor que ele seja, do que dispensar uma equipe toda que, mesmo sem muitas “estrelas”, produz o suficiente.

Aos profissionais, cabe a reflexão.

Muitas vezes não é fácil perceber as próprias falhas, mas é importante que cada um faça o exercício de identificar os reais conhecimentos que possui. Peça um parecer de alguém de fora; de uma ajuda profissional; ou de colaboradores de seu grupo. Esse feedback, de onde vier, poderá ser usado para melhorar algo.

Evidenciar as próprias habilidades é realmente um ponto importante, afinal isso é marketing pessoal; mas tudo deve ser feito sem excessos. É natural querer uma chance de se sobressair na carreira e conquistar um espaço, contudo entendendo também que os resultados de uma Organização são só atingidos quando há sinergia do time através da soma dos esforços de todos os membros.

A recomendação é: dê o melhor de si e destaque-se. Porém, saiba admirar o próximo e a reconhecer outros notáveis.

Não seja um daqueles profissionais brilhantes que prejudicam a própria carreira por não saber administrar suas competências. Buscar desenvolver os valores apresentados e colocá-los em prática no seu emprego é uma forma de atingir esse equilíbrio, e, assim, evitar que as melhores virtudes se transformem em grandes deslizes.

Ana Cruz

Gerente de Comunicação
Graduada em Comunicação e Designer Gráfico pela Universidade Paulista, Comunicação Integrada pela ESPM. Possui 21 anos de experiência em consultorias de Recursos Humanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *