Foi demitido? Saiba o que falar na próxima entrevista de emprego

Especialistas indicam o que fazer em uma entrevista de emprego após ser demitido. A matéria do Yahoo Finanças conta com a participação de Marshal Raffa, Diretor Executivo da Thomas Case & Associados Campinas.

Por Colaboradores Yahoo Finanças

A notícia de uma demissão sempre é dolorosa e costuma ser pior ainda em tempos de crise econômica como a que assola o Brasil. No entanto, é comum que ao ser chamado para uma nova entrevista de emprego a pergunta “por que você saiu da sua empresa anterior?” apareça e aí surja uma série de dúvidas: falar a verdade ou não?

De acordo com os especialistas ouvidos pelo Yahoo, é preciso ser sincero, mas ter cautela no momento da resposta. “Em uma entrevista de emprego, seja qual for a pergunta, nunca é aconselhável esquivar-se na hora da resposta. Essa atitude fica evidente e demonstra que o candidato tem algo a esconder, o que causa uma má impressão ou dúvida quanto ao seu profissionalismo. Portanto, acima de tudo seja transparente. Recrutadores são profissionais capacitados para analisar e perceber quando uma pessoa não está sendo totalmente sincera”, explica Rodrigo Vianna, CEO da Mappit – consultoria de recrutamento e seleção especializada em vagas para início de carreira.

É importante falar a verdade, mas tendo cuidado para não expor o antigo empregador de forma negativa ou detalhando muito a situação. “Sempre deve ser dito a verdade de forma clara e coerente. Mas é obvio que existem maneiras de serem ditas. Todo candidato deve estar preparado para essas perguntas e ter em consciência que está sendo avaliado. O ideal é responder com transparência, mas visando o seu bom desempenho e imagem no processo. Ressalte suas virtudes e minimize suas dificuldades junto ao empregador anterior”, explica Marshal Raffa, Diretor Executivo da unidade em Campinas (SP) da Thomas Case & Associados, consultoria de atuação na gestão de carreiras e RH.

Se a demissão tiver acontecido por conta de cortes ou de alguma questão referente à situação financeira da empresa, os especialistas recomendam revelar o motivo da demissão. “Se o receio é pelo seu trabalho parecer menos importante que o de quem permaneceu na empresa é preciso lembrar sempre que não é dever do candidato se justificar por uma ação da empresa que não tenha sido implicada por suas atitudes e sim por questões que estão fora de seu alcance”, fala Vianna.

Já na opinião de Raffa, o cenário é comum atualmente e qualquer pessoa e empresa está sujeita a uma dificuldade financeira. “Isso não desmerece a empresa ou o candidato, mas mostra que esse é o fator preponderante para que não continuasse na organização.

Demonstre que se não fosse o momento da empresa, estaria ainda empregado e fazendo parte do quadro. Mostre gratidão pela empresa, mas enfatize suas qualidades enquanto empregado”, recomenda.

Caso a demissão tenha sido ocasionada por performance, comportamento ou falta de perfil com a vaga, Vianna acredita que os motivos podem ser citados de forma sutil e sempre atrelados ao fato de que especificamente aquela vaga em questão, ou a cultura da empresa em questão, não foram ao encontro do seu perfil. “No entanto, é importante também que o candidato afirme já estar colocando em prática medidas para melhorar os pontos considerados negativos pelo antigo empregador. Isso demonstra responsabilidade, aprendizado e maturidade”, fala.

Já para Raffa, a questão é bastante delicada, pois ser desligado por performance pode mostrar ao recrutador que o seu momento e resultados não foram positivos. “Ressalte o que entregou de valor à empresa, mas de forma singela o que a empresa esperava de você. E, caso tenha sido mandado embora por comportamento, evite abordar esse assunto, pois é uma das questões mais perigosas no processo seletivo”, fala.

Quanto à questão ‘fora do perfil’, Raffa recomenda colocar de forma verdadeira os seus diferenciais na entrevista e salientar que a posição a qual trabalha não era condizente ao seu perfil. “Sempre foque o seu perfil e menos o perfil da vaga que estava assim, o entrevistador entenderá melhor quem é você e onde terá melhores resultados”, explica.

Na opinião de Vianna, falar sobre os motivos do desligamento de forma segura e bem resolvida é sinônimo de responsabilidade. “Admitir as falhas e diferenças é sinônimo de responsabilidade, característica bastante valorizada entre os recrutadores. Por isso, não se deve contar longas histórias tentando se justificar, ou citando colegas de trabalho como parte da culpa, o ideal é ir direto ao ponto e imediatamente deixar claro que serviu como aprendizado. Também não é aconselhável criticar o ex-chefe neste momento, pois isso não é ético e nem bem visto pelo mercado”, ensina.

Como toda questão em uma entrevista de emprego, o tópico demissão tem sua importância para a decisão do recrutador encontrar o profissional que tenha o melhor perfil para a vaga. “Entretanto, uma vez que a resposta é bem conduzida conforme as dicas citadas, a resposta pode inclusive ser considerada positiva, por demonstrar maturidade, autoconhecimento e resiliência do profissional”, fala Vianna.

Link da publicação: http://bit.ly/2Dy4Iim

Thomas Case & Associados

Ao longo de 41 anos de atividades, nossos especialistas em Transição de Carreira, Outplacement, Coaching, Executive Search e Desenvolvimento contribuem com reportagens para diversos veículos de comunicação do país, por isso, a Thomas Case & Associados é considerada uma das principais fontes para consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *