7 atitudes para evitar em reuniões com chefes e líderes

Especialistas listam as principais atitudes que devem ser evitadas nas reuniões com líderes. Confira a participação de Ricardo Munhoz, Diretor Executivo da Thomas Case & Associados Porto Alegre, para o Yahoo Notícias.

Por Melissa Santos

As reuniões fazem parte do dia a dia corporativo, no entanto, poucas pessoas compreendem a importância desse momento em sua carreira corporativa. Afinal, é um momento em que muitas vezes você está mais exposto na frente do seu chefe e de outros colegas de outras áreas.

“Em reuniões com chefes e líderes, sejam reuniões internas ou com clientes, é importante levar em conta o comportamento, porque as atitudes dos profissionais estão sendo avaliadas nesses momentos. São situações mais formais de trabalho e, por isso, é um momento de o gestor entender o nível de profissionalismo, maturidade e seriedade dos colaboradores”, explica Rodrigo Vianna, CEO da Mappit, consultoria especializada no recrutamento de profissionais de início de carreira.

Para Ricardo Munhoz, Diretor Executivo da Thomas Case & Associados, consultoria de gestão de carreiras e RH, o bom comportamento é peça-chave para se destacar e criar uma boa relação com seus superiores, promoções futuras e aumento. “Atualmente em processos seletivos um dos pontos que mais se destaca, além de ser valorizado e analisado, é o perfil comportamental das pessoas, na mesma proporção, é um dos motivos que mais se demite. Por isso, o ideal é ter um comportamento adequado, trabalhando constantemente para ser um profissional resiliente, positivo, auto gerenciável, ágil e participativo são bons exemplos de comportamentos a serem adotados sempre”, afirma.

A seguir Vianna e Munhoz listam as principais atitudes que devem ser evitadas:

1) Ir a uma reunião sem saber o tema

Segundo Vianna, sempre que um profissional é convidado para uma reunião, ele precisa entender o que será discutido para se preparar da melhor forma para desempenhar o seu papel nesse encontro com qualidade. “Ir sem saber o que está acontecendo, mesmo se você não for apresentar a reunião e participe apenas como ouvinte, demonstra falta de planejamento, desinteresse e desrespeito do profissional”, acredita.

Caso desconheça totalmente o assunto, Munhoz recomenda solicitar cordialmente e com antecedência a pauta da reunião para seu superior, assim você estará ciente sobre os temas analisados e seus objetivos. “Com isso, sua contribuição será mais assertiva, o fluxo de trabalho definido fluirá melhor e de forma mais produtiva”, fala.

Munhoz ainda destaca que a falta de preparo pode provocar insegurança e prejudicar a imagem profissional por causa da comunicação ruim. “O descontrole emocional traz frases truncadas, sem sequência lógica, quase que incompreensíveis. Em algumas situações, as ideias tornam-se agressivas, criando um clima desagradável e passando a imagem de que você não sabe como se comportar sob pressão”, fala.

2) Chegar atrasado

Para Munhoz esse é a pior atitude que se pode ter, afinal, a impontualidade projeta uma imagem negativa. “Ninguém quer uma pessoa irresponsável na equipe, que chega tarde para seus compromissos. Você perde a credibilidade, pois atraso é sinônimo de desorganização. Sabemos que nos dias de hoje, com tantas reuniões, trânsito caótico e atividades diárias, fica difícil manter horários, mas a pontualidade começa com um bom planejamento”, explica.

3) Não largar o smartphone

Participar de uma reunião de negócios com os envolvidos atentos nos próprios celulares é impraticável. “Além de tirar a atenção individual do que realmente é importante, eles atrapalham os demais e interrompem a fluidez do encontro. Sabemos que os smartphones vieram para facilitar a nossa vida, mas quando utilizados nos momentos certos”, explica Munhoz.

4) Resolver outros assuntos durante a reunião

Vianna cita que um erro comum de muitos profissionais é irem para as reuniões com os seus notebooks e trabalharem em outras demandas, enquanto outras pessoas falam. “Isso é uma tentativa de otimizar o tempo, principalmente quando há excesso de trabalho. Porém, não é um comportamento bem visto, pois pode ser considerado desrespeitoso com os profissionais presentes”, explica.

Segundo o CEO da Mappit, resolver uma questão pontual e rápida durante uma reunião é compreensível, mas isso não pode ocupar muito tempo a ponto de desviar seu foco e atenção. “Se for algo urgente e que seja extremamente necessário perder mais tempo para resolver, explique aos presentes que é uma situação emergencial e peça licença para fazê-lo”, explica.

5) Usar excessivamente linguagem informal e, principalmente, erros de português

Em uma reunião, é importante estar atento a forma como você vai expor suas ideias. Dependendo da cultura e do ambiente de trabalho em que a reunião é realizada, não há problemas em usar alguns termos informais. “Por exemplo, quando o ambiente de trabalho é mais despojado, é possível usar termos descontraídos nas reuniões. Mas tome cuidado com excessos. Porém, independente do ambiente e cultura da empresa é muito importante evitar erros de português”, fala Vianna.

6) Ser pouco participativo ou monossilábico

Mesmo que você participe de uma reunião apenas como ouvinte, ou seja, não irá efetivamente apresentar o assunto a ser discutido, é importante estar atendo e fazer contribuições interessantes ao longo da conversa. “Ir a uma reunião e não se expressar pode demonstrar que você não tem nada a acrescentar naquele trabalho”, opina Vianna.

7) Interromper a fala dos outros participantes da reunião

Para que uma reunião seja produtiva, é importante que haja certo ordenamento e sequência na apresentação das ideias. “Por isso, é importante que os profissionais tenham bom senso e respeitem as falas de todos, e aguardem o momento ideal para se pronunciarem. Isso demonstra respeito pela opinião das pessoas, e torna a conversa mais produtiva”, afirma Vianna.

Como o objetivo das reuniões também é sempre ter uma conversa, e não monólogo, Munhoz recomenda se policiar, caso você fala demasiadamente, para abrir espaço para os demais contribuírem. “Participar de modo construtivo e pontual é importante para que seus superiores comecem a reconhecê-lo, porém tudo deve ser feito sem excessos”, diz.

Link da publicação: http://bit.ly/2v5gxsz

Thomas Case & Associados

Ao longo de 41 anos de atividades, nossos especialistas em Transição de Carreira, Outplacement, Coaching, Executive Search e Desenvolvimento contribuem com reportagens para diversos veículos de comunicação do país, por isso, a Thomas Case & Associados é considerada uma das principais fontes para consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *