Como os testes de comportamento podem ajudar na sua carreira

Há uma variedade imensa de testes que ajudam a identificar perfis comportamentais. E dentro do universo corporativo eles podem ser positivos. Confiram a participação de Daniel Barbosa, Aconselhador de Carreira da Thomas Case & Associados São Paulo, para o Yahoo Finanças e Carreiras.

Por Melissa Santos

Você já foi submetido ou ouviu falar de testes comportamentais, como DISC, Hogan, Insights, Eneagrama, PPA, Quantume e Gallup? Há uma variedade imensa de testes que ajudam a identificar perfis comportamentais. E dentro do universo corporativo eles podem ser positivos tanto para as organizações quanto para os colaboradores.

“O RH consegue perceber se há aderência desse profissional à cultura das organizações. Enquanto o colaborador alinha as percepções sobre como ele se vê e como ele é visto”, avalia Rodrigo Vianna, CEO da Mappit, consultoria especializada em vagas de início de carreira.

Segundo Daniel Barbosa, aconselhador de carreira da Thomas Case & Associados, consultoria com atuação na gestão de carreiras e RH, o mais conhecido por todos é o DISC. “Ele apresenta um diagnóstico completo de como o indivíduo se comporta normalmente e qual é o seu posicionamento em situações de estresse. Ele fundamenta suas principais habilidades e características de acordo com o contexto vivenciado por ele, o que faz dele uma ótima ferramenta em processos de assessment”, afirma.

O principal objetivo, segundo Vianna, é conhecer mais sobre você mesmo. “A grande vantagem desse tipo de teste é gerar mais autoconhecimento. Muitas vezes, temos percepções sobre nosso perfil, comportamentos e atitudes e eles podem nos ajudam a verificar se essas percepções são de fatos reais”, explica.

Segundo o CEO da Mappit, existem tipos de testes que mostram comportamentos em diferentes momentos, como sob pressão, além de diversos ambientes. “Acho sempre interessante que os profissionais peçam às empresas para realizarem esses testes, se possível, para que possam enxergar esses pontos todos”, indica.

Já Barbosa acredita que ao recorrer a esse tipo de ferramenta, existe a possibilidade de que o indivíduo se enxergue como um todo e entenda quais são as principais razões para que seus comportamentos aconteçam. “Quando existe por parte da pessoa o interesse em se autoconhecer, este tipo de teste se torna uma ferramenta poderosa que mostra características que não somente são vistas por ela mesma, mas ao mesmo tempo identificadas por outros ou até mesmo não são vistas por pessoas de seu convívio. A avaliação de perfil ainda dá informações ao avaliado sobre quais são os seus pontos fracos ou que podem ser trabalhados”, comenta.

O aconselhador de carreira da Thomas Case & Associados também acha relevante compreender o perfil dos profissionais na hora de se relacionar no ambiente de trabalho.

“Entender o perfil das pessoas com quem se trabalha é como entender o idioma o qual elas se comunicam, pois o convívio e o relacionamento somente fluem quando há entendimento de como cada pessoa funciona. E quando não há este entendimento, a comunicação pode ficar comprometida”, avalia.

E Barbosa vai além. Para ele, conhecer essas características não somente pode ajudar no relacionamento interpessoal, mas também contribui para que a equipe se entenda e trabalhe de maneira unida em busca dos objetivos da empresa. “Da mesma forma, um gestor que entende o comportamento de sua equipe tende a ser muito mais produtivo e entregar resultados melhores em parceria com seus subordinados”, finaliza.

Link da publicação: http://bit.ly/2YbIVp9

Thomas Case & Associados

Ao longo de 41 anos de atividades, nossos especialistas em Transição de Carreira, Outplacement, Coaching, Executive Search e Desenvolvimento contribuem com reportagens para diversos veículos de comunicação do país, por isso, a Thomas Case & Associados é considerada uma das principais fontes para consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *