6 erros comuns na festa da firma

Do uso inadequado do celular à tentação de conversar só com os colegas de departamento, especialistas indicam o que não fazer na confraternização da empresa.

Por Karina Fusco

Confraternizações são eventos de trabalho, mesmo acontecendo em ambientes descontraídos, com música e bebidas à vontade. O objetivo da empresa com a festa é fazer um balanço do ano e celebrar as conquistas – ter isso em mente ajuda na hora de identificar o que fazer e o que evitar nessas ocasiões. É o que afirmam os especialistas ouvidos pela VOCÊ S/A.

1. Arrumar desculpa para não ir

Deixar de ir à festa é uma escolha negativa, principalmente se a comemoração ocorrer no local e no horário de trabalho.

Estar presente é uma boa oportunidade para fazer networking. Até mesmo os mais introvertidos devem se esforçar para ir ao evento e demonstrar que também querem celebrar. “É possível estreitar relacionamentos, conhecer melhor pessoas de outros departamentos e até conversar com profissionais do alto escalão, a quem não se tem acesso fácil no dia a dia”, diz Marcelo Veras, professor de planejamento de carreira da Inova Business School.

Caso você realmente não possa comparecer, é preciso comunicar o gestor e justificar sua ausência.

2. Aproveitar ao máximo o open bar

Muitos acreditam que bebida à vontade é sinal verde para o consumo sem freios, mas não exagerar é a regra básica. “Se você perceber que está passando do limite, é recomendável ir embora, para não colocar a carreira em risco”, afirma Veras.

Caso tenha dificuldade de controlar a ingestão, o ideal é nem começar: peça versões sem álcool dos drinques oferecidos.

3. Ficar só com a sua turma

É natural que os profissionais procurem estar sempre perto de outros com quem já têm intimidade. Mas deixar de circular é uma cilada. Além de desperdiçar um dos momentos mais importantes do ano para estabelecer novas conexões no ambiente corporativo, essa atitude pode demonstrar dificuldades de relacionamento.

4. Conversar sobre qualquer assunto

Nas interações, manter a postura centrada é importante. “Uma brincadeira de mal gosto ou uma fala mal pensada podem destruir em segundos a reputação e a imagem do funcionário, que leva anos para ser construída”, diz Veras.

Falar de acontecimentos positivos e até relembrar momentos de superação são abordagens favoráveis. “Só não é um momento adequado para fazer cobranças, nem questionar sobre aumento de salário ou mudança de cargo, pois ali a hierarquia não desaparece, apenas entra em segundo plano”, afirma Paulo Sardinha, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil). “Ficar paparicando alguém também pode ser ruim.”

Além disso, evite forçar intimidade, e cuidado com temas polêmicos, como política e religião. Se perceber que algum de seus comentários ofendeu alguém, peça desculpas e mude de assunto, em vez de tentar convencer o outro de que ele não tem razão de se sentir daquela forma.

E, se ouvir algo que deixe você irritado, veja se não é o caso de não participar da conversa ou de pedir licença ao grupo e se afastar. Afinal, o local não é o ideal para debates acalorados. Se achar pertinente, no dia seguinte, chame o colega para um café e se posicione, sem se exaltar.

5. Usar o celular como faz nos outros dias

Se você não desgruda do aparelho, precisa fazer um esforço para mantê-lo guardado por períodos maiores. Ficar sempre de olho na tela não cai bem, porque a confraternização é um momento de interação entre os colegas.

A recomendação vale também para quem não abre mão das postagens em tempo real nas redes sociais. “Compartilhar fotos ou vídeos expondo colegas é a principal atitude a se evitar”, diz Sardinha.

6. Fazer fofoca

Cuidado para não integrar panelinhas em que os assuntos preferidos são a roupa, a aparência, a vida íntima dos outros. Busque interagir com quem acrescenta à sua vida — e procure ser também o profissional que tem algo a dizer.

Thomas Case & Associados

Ao longo de 42 anos de atividades, nossos especialistas em Transição de Carreira, Outplacement, Coaching, Executive Search e Desenvolvimento contribuem com reportagens para diversos veículos de comunicação do país, por isso, a Thomas Case & Associados é considerada uma das principais fontes para consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *